ANALOGIA ENTRE O TRÂNSITO E O FUTEBOL

sexta-feira, 2 de maio de 2008 Karine Winter


Infelizmente, a maioria das pessoas, no trânsito, pensam apenas em si mesmas demonstrando uma grande tendência em manifestar atitudes egoístas. Quando compartilhamos um espaço público, seja ele uma praça, uma praia, a calçada ou a rua, precisamos ser solidários e nos preocupar com a segurança das outras pessoas também. A segurança e a paz no trânsito somente são possíveis quando trabalhamos de forma conjunta e em equipe, compreendendo que cada um tem seu espaço e sua função. Para entender melhor basta comparar o trânsito com uma partida de futebol. Antes de cada partida, os jogadores concentram-se para entrar em campo. Ao sair à rua, os pedestres, os motociclistas, os ciclistas, os motoristas, as crianças, os jovens, os adultos, enfim, todos, precisam relembrar que no trânsito é fundamental terem atenção, respeito, compreensão, colaboração e muito cuidado. Além disso, devem ter em mente que agir de maneira pacífica, ser tolerante, respeitar e se preocupar com a segurança e os direitos das outras pessoas é dever de todos. O objetivo no futebol é o gol. É ganhar a partida. No trânsito, a meta é chegar ao destino que queremos, sem faltas, infrações ou acidentes. A calma, o respeito, a tolerância e a cooperação entre as pessoas são jogadas de mestre. No futebol, há goleiros, atacantes, laterais, treinadores, juizes e torcidas. No trânsito, há pedestres, ciclistas, motoristas, agentes de trânsito, motociclistas e as pessoas que nos esperam para comemorar a nossa chegada, ou seja, o gol. Um time nota dez é aquele que joga em equipe, não comete faltas e que respeita todas as pessoas que estão em campo: o juiz, os jogadores e a torcida. Um trânsito seguro é aquele em que todos cumprem as regras e leis e respeitam uns aos outros. Apesar de terem tanto em comum, o trânsito e o futebol apresentam uma grande diferença: no trânsito, todos devem ser vencedores. Entretanto, há pessoas que preferem perder. Existem motoristas que gostam de andar em alta velocidade, dirigem com imprudência, sob efeito do álcool, avançam sinais vermelhos, etc. Alguns pedestres não atravessam a rua com cautela, se arriscam, sobem e descem do ônibus com ele em movimento. Esses formam a equipe que nunca ganha. Pena que esses "jogadores" não deixam apenas de conquistar partidas, de vencer campeonatos nacionais ou copas do mundo. Eles perdem algo muito mais precioso - a própria vida – e colocam muitas vezes em risco, a vida de outras pessoas. PENSE NISSO!

Fonte de referência: Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Transportes – UFRJ
Autoria de: Karine Winter