MENORES AO VOLANTE

sexta-feira, 2 de maio de 2008 Karine Winter



Foi enterrada na manhã do dia 05 de março de 2008 em São Paulo, uma aposentada de 70 anos que morreu depois de ter sido atropelada por um carro. A motorista era uma jovem de 16 anos. Na mesma semana, um menino de 12, foi flagrado dirigindo, com a conivência da tia e um adolescente de 17 anos que no ano passado foi campeão baiano de motocross, atropelou e matou a aposentada Maria da Conceição Dias do Carmo, de 62 anos, em Itabuna. São três casos graves que chamam a atenção para o perigo de estimular os jovens a assumirem o volante antes da idade permitida por lei. Se, menores de 18 anos, não têm autorização para dirigir, de que forma eles aprendem e com o carro de quem? Certamente com aquele que estiver mais próximo, ou seja, o da garagem de casa. Mas, não pense que eles pegam o carro escondido dos pais ou coisa parecida. Infelizmente, pesquisas e estudos recentes comprovam que na maioria dos casos, em mais de 60%, os pais têm conhecimento e autorizam a aprendizagem ou a prática da direção por seus filhos menores. Os adultos quando incentivam os menores a aprenderem a direção antes da idade permitida estão assumindo o risco e, portanto, são coniventes com a situação. A maioria dos jovens atribui seu comportamento imprudente à adrenalina, ao consumo de bebidas alcoólicas, à atração pela velocidade e pela transgressão de regras e de leis, comportamento típico dessa faixa etária, quando adolescentes e jovens participam de rachas e onde o exibicionismo com manobras radicais e altas velocidades são uma maneira de chamar a atenção. A pressão social, o desafio e a necessidade de aprovação também são fatores que têm forte influência e contribuem sobremaneira para o aumento do número de menores ao volante. Os acidentes de trânsito são a segunda principal causa de morte entre os adolescentes brasileiros, ficando atrás apenas dos homicídios. Os jovens se envolvem muito mais em acidentes de trânsito do que os adultos e a gravidade também é muito maior. De que é a culpa? Sem dúvida nenhuma, os culpados são os adultos e, na grande maioria, os pais destes menores. Onde está a solução? A solução está prevista na lei, através da implantação de programas educativos nas escolas e por meio de uma fiscalização mais efetiva, capaz não só de punir, mas também de conscientizar os motoristas infratores. Outro fator fundamental é a educação que deve ser dada pelos pais aos seus filhos em casa. A família não pode se eximir de suas responsabilidades em relação à educação de seus filhos. Cabe aos pais impor regras e exigir que elas sejam cumpridas, através de uma educação pautada em limites, princípios e valores e que venham a contribuir para a formação de jovens mais conscientes, conhecedores de seus direitos e principalmente sabedores de seus deveres no convívio em sociedade. PENSE NISSO!



Autoria de: Karine Winter