CUIDADO COM O CAMELO (AINDA SOBRE O USO OU NÃO USO DO PISCA-PISCA)

quinta-feira, 11 de março de 2010 Karine Winter


Recebi este texto muito interessante, via e-mail, do Sr Carlos Augusto Rangel da Silva – Presidente do IDETRAN – Instituto de Desenvolvimento Para Educação no Trânsito, http://www.idetran.blogspot.com/ à quem agradeço a colaboração.

 

" Você costuma acionar o pisca-pisca do automóvel quando vai trocar de faixa? Não? Tudo bem, você não está só. Normalmente, as pessoas agem como se andassem sozinhas na via. De repente, o motorista resolve sair de uma faixa para outra. E nada de dar sinal. A cordialidade não é uma das qualidades do homem moderno, que anda sempre apressado. No trânsito então, nem se fala. Parece que estão todos indo tirar o pai da forca. Você não consegue ver a importância num simples pisca-pisca? Faça o seguinte exercício, sem o carro obviamente. Saia caminhando, de preferência em uma calçada bem movimentada. E, aí, sem nenhum cuidado dê uma guinada para a direita. Faça esse movimento umas três vezes (mais do que isso, é provável que você leve, no mínimo um xingão). Imagine o que aconteceria com esse pedestre? Óbvio que ele sairia esbarrando em outras pessoas. Ora, se temos de ser previsíveis em nossas atitudes como pedestres - cuidar para não esbarrar nos outros e tampouco atropelar alguém -, os cuidados devem ser redobrados com o automóvel. Ao volante, em vez dos xingões, é provável que você acabe provocando um acidente. Acionar o pisca-pisca para anunciar um determinado movimento com o veículo é, antes de qualquer coisa, um sinal de educação. Ou então, vá dirigir no deserto! Mas cuidado para não ser atropelado por algum camelo (é que esses bichos não sabem o que é pisca-pisca)."

Autor: Luiz Aquino Jornalista e colunista do Jornal Diário Gaúcho